Nelson Cadena: 100 Anos de Dodô

Há dois anos, exatamente no dia 10 de janeiro, quando se comemorou os 100 anos de Dodô, o escritor e historiador Nelson Cadena publicou a seguinte texto na sua coluna do jornal Correio*.


 

Num dia de Verão de 1936, Adolfo Nascimento, Dodô, sugeriu a Dorival Caymmi fazer um furo no violão e adaptar um alto-falante dentro da caixa do instrumento para amplificar o som, o Carnaval estava próximo. Caymmi era, então, um dos integrantes do conjunto Três e Meio que naquele ano desfilou na Avenida num corso, tocando sambas e marchas, mas o músico não aceitou a sugestão do técnico. Stella Caymmi, que é quem conta essa história, lamenta a recusa do avô: “Talvez antecipasse em alguns anos o pau elétrico, a chamada guitarra baiana”. Leia mais…

Dodô: 100 anos do inventor da Guitarra Baiana

dodc3b4-100-anos-c

Para homenagear os 100 de Dodô, Pedrinho da Rocha criou essa marca e escreveu esse texto em seu blog:

Fosse ele um gringo, seria mundialmente famoso: Adolfo Nascimento, mais conhecido como Dodô, se vivo estivesse, completaria 100 anos. Inventor da Guitarra Baiana – ou da própria guitarra, já que ocorreu no mesmo período do outro inventor, o americano Fender – seu invento inspirou artistas como Caetano Veloso, Moraes Moreira, Armandinho, Pepeu Gomes, Luiz Caldas e toda uma geração surgida em cima do trio elétrico. Seria uma justa homenagem ser seu centenário tema do próximo carnaval.

Dodô também foi o criador do Trio Elétrico, junto com seu parceiro Osmar Macedo.

Por Pedrinho da Rocha

 

Originalmente publicado aqui